O Comissão Europeia emitido um documento sobre as consequências do comércio na Europa de Brexit produtos do Reino Unido.

O documento aborda todos os produtos introduzidos na Comunidade, outro do que alimentar e agrícola, partir da data de 30 Março de 2019, data na qual será a saída do Reino Unido, da Comunidade Europeia (a menos que seja prorrogado). Para os interessados podemos incluir o documento inteiro em link.

A Comissão salientada que, a partir da data de lançamento, fabricantes e importadores estabelecidos no Reino Unido já não são considerados operadores estabelecidos na Comunidade Europeia.

O resultado é que um operador económico estabelecida em qualquer outro país membro, que antes o Brexit foi considerado para ser um distribuidor, automaticamente se tornará um importador e estará sujeito a lei relativa aos produtos de Países terceiros.

Em termos práticos ele deve cumprir os requisitos de distribuidores em grosso que são diferentes dos distribuidores.

Há mais. Legislação europeia relativo aos produtos já não reconhecerá o representantes autorizados estabelecida no Reino Unido. Então extra-comunitários empresas hoje faz uso de um representante autorizado (ou advogado) para colocar seus produtos no mercado europeu, terá que mudar essa função em outro países da UE.

De acordo com o documento, organismos notificados o Reino Unido deixará de ser tal para uma lei europeia e já não poderão expressar-se sobre a conformidade dos produtos nas condições da legislação de harmonização da União.

E os atores operam no campo o que devo fazer? Deve ser assegurado que qualquer certificado de avaliação (Exame de tipo EU) é de um organismo notificado um dos outros Estados membros da UE.

No caso em que o operador tenha um certificado emitido por um organismo através do canal, deve aplicar-se para uma nova avaliação por um organismo notificado de Comunidade, ou com base em um contrato entre o fabricante, o corpo britânico e Europeu, pedir a transferência de documentos e o certificado correspondente dos britânicos ao organismo europeu, Quem assumirá a responsabilidade.

Como parte das mudanças também Brexit post a Agência Europeia de medicamentos e a Autoridade Bancária Europeia terá que deixar seus lugares no Reino Unido e mover-se para um dos países da Comissão por 30 Março de 2019.

No que diz respeito a Agência Europeia de medicamentos (EMA), em data 20 Novembro de 2017, o Conselho Europeu escolheu Amsterdam como nova colocação. No entanto, o governo italiano pediu para cancelar esta decisão, Sublinhando que aí seria “garantir que a Agência pode ser funcional e operacional até à data de lançamento do Reino Unido, da União Europeia (30 Março de 2019), tendo em conta a necessidade de espaços e soluções logísticas adequadas para escritórios, as salas de reunião, os arquivos e as normas adequadas de infra-estrutura de segurança”.

A Autoridade Bancária Europeia (EBA) vai ser transferido para Paris. A decisão foi determinada por sorteio após a terceira rodada de votação. Na terceira rodada tinha vindo Paris e Dublin.

0 respostas

Deixar uma resposta

Quer participar da discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixar uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *